domingo, 7 de outubro de 2007

SERPENTE LUMINOSA

Enquanto não começa o jogo mais esperado desta noite (Académica de Coimbra/F. C. do Porto), vou navegando pela internet, ou para procurar novidades ou para voltar ver aquelas coisas boas que, por mais tempo que passe, gostamos sempre de rever.
O ambiente por aqui está calmo. Os hóspedes estão acomodados. Uns esperam pelo jantar, outros, que já jantaram, esperam pelo futebol. Os que ainda não chegaram, telefonaram para dizer que vinham a caminho e para lhes guardarmos uma refeição, pois estavam ansiosos para jantar na pensão.
Da sacada da sala de jantar, consigo ver o trânsito no IP3. As dezenas e dezenas de carros que se deslocam no sentido Viseu/Coimbra, formam uma fila compacta que faz lembrar (se existir) uma enorme serpente luminosa, tal é a quantidade de luzes que, devagar, se dirigem para o destino ou de volta à origem.
A D. Rosalinda lá continua com o seu, enorme, tapete de arraiolos. Diz que é para a sua neta mais velha, a menina Alice portanto, para quando ela decidir arranjar um companheiro.
- Sim porque hoje já não se fala em casamento. - diz com a cara virada para a fotografia, a preto e branco, do seu saudoso marido, o Sr. Ricardo, falecido há dez anos com uma doença daquelas que nos leva de repente. Boa pessoa que ele era.
Para a D. Rosalinda, fazer arraiolos é mais do que um passatempo, é uma obsessão. Faz carpetes, tapetes, tapetinhos, almofadas e painéis para pendurar. As paredes da pensão, já para não falar do chão da sala, do hall e dos quartos, estão decoradas com muitas dessas "obras de arte", como simpaticamente gosto de lhes chamar. É assim desde que eu a conheço, já lá vão 30 anos, e concerteza que já não muda.
Continuando pela internet, vou agora passar por alguns dos blogues que habitualmente visito. Um escreve sobre a farsa das eleições cubanas, outro escreve acerca dos lobbies e do poder que têm em relação ao Estado, outro ainda, escreve sobre palavras curiosas que abundam no nosso léxico e outro escreve sobre uma determinada geografia. Gosto de passar por estes e por outros para os quais agora não tenho tempo. Porém, existe um que, todos os dias, faço questão de visitar, e nele li um post que dava conta do nascimento de um novo blogue em Penacova.
- Que bom - disse eu para mim -, finalmente vamos ter um blogue que poderá ocupar um lugar de destaque, tal como aconteceu com um chamado Jogo de Possíveis, fazendo as delícias de alguns e causando amargos de boca a outros. Para já, segundo o seu criador, pessoa por quem nutro especial simpatia, trata-se de um blogue "ainda em fase tão embrionária como experimental", que poderá corresponder às expectativas ou ficar aquém do esperado, mesmo assim, e partindo do princípio que o autor é uma pessoa com capacidades mais do que suficientes para levar aquele projecto por diante, tenho quase a certeza que vai ser um blogue com "cabeça" para pensar nas várias situações dignas de referência, "tronco" para aguentar as investidas a que (de certeza) vai estar sujeito, e "membros" para caminhar em frente, sem vergar ou ziguezaguear.
Da minha parte, faço votos para que tal iniciativa resulte e seja um sucesso, pois Penacova (e o mundo) precisa de vozes com qualidade, que olhem e comentem os seus destinos, zelando para que nenhuma crítica seja abafada ou que nenhuma voz seja calada.

2 comentários:

NancyB disse...

Caro Recepcionista,
Obrigada pela sua referência ao "GR". Ambos partilhamos o gosto por uma determinada terra. E gostaríamos de a ver mais desenvolvida, escrever tb é ajudar a desenvolver. Espero eu.
Cumprimentos

recepcionista disse...

Cara Nancy, é com enorme prazer que a recebo na pensão.
Relativamente à escrita creio que poderá ser uma forma de "indignação", pelo menos é um dos meios através da qual ela se pode manifestar.
Cumprimentos e, volte sempre.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...